EVOLUÇÃO DO FRANCHISING

Um pouco da História do Franchising

Historiadores afirmam que, de forma ainda muito rudimentar, o conceito de franchising originou-se na Idade Média, a partir do momento em que a Igreja Católica passou a conceder licenças ou Franquias a senhores de terras e a outras pessoas para que, em seu nome, coletassem impostos e taxas.

Há quem atribua as origens mais remotas do franchising às expedições ou aventuras marítimas financiadas pelos diversos reinos existentes à época. Naquele tempo, os reis “franqueavam” navios aos exploradores, para que, em nome do reino e sob suas armas, buscassem novas terras, especiarias e riquezas.

O sistema de franchising, tal e como o conhecemos hoje em dia, teve sua origem em meados do século XIX, nos Estados Unidos, concretamente no ano de 1862. Nesta data a I.M. Singer & Co., fabricante de máquinas de costura, já concedia o direito de uso de sua marca e de comercialização de seus produtos para comerciantes independentes.

Com o tempo, empresas como a General Motors e Coca-Cola adotaram o sistema de franquias como uma forma de se fazer negócios e crescer, ocupando mercados - a finalidade da GM era expandir a sua rede de revendas de automóveis e a da Coca era garantir o engarrafamento e uma distribuição mais abrangente de seus produtos, utilizando terceiros nesse processo.

A partir do século XX, após a 2ª. Guerra Mundial, o sistema de franquias iniciou o seu grande "boom" nos Estados Unidos, com a abertura de diversos negócios por soldados americanos que voltaram para suas casas sem experiência e sem emprego, porém com muita vontade de trabalhar e com necessidade de ganhar dinheiro. O mercado já apresentava oportunidades de franquias como Hertz (locação de veículos), Roto Rooter (limpeza de encanamentos), entre muitas outras.

Em meados da década de 1930, as companhias de petróleo começaram a franquear postos de gasolina.

A indústria de refrigerantes também começou a franquia neste período. Veja que este modelo de franquia industrial, que algumas vezes é divulgado como uma inovação, já existia no início do século passado. O franqueado recebia um xarope e o direito de produzir refrigerante seguindo uma fórmula rigorosa, identificando-os com a marca do produtor do xarope e explorando de maneira exclusiva determinada região.

Sem a utilização deste modelo, dificilmente os nomes fortes de hoje teriam conseguido tal expansão em tão pouco tempo.

Ainda no início do século passado por volta de 1920 a 1930, nos Estados Unidos surgiram redes formadas por empresários independentes, como redes de farmácias e lojas de utilidades.

Algumas destas redes conseguiram excelentes resultados através do cooperativismo, atraindo novos membros que atuavam exatamente como um franqueado.

Algumas redes americanas surgidas nesta época chegaram em 1960 com mais de duas mil unidades.

Acredita-se que a mais antiga rede de franquias de serviços tenha sido a Harper cabeleireiro, também americana.

Salões, instituído pela Martha Matilda Harper em 1891. Ela queria expandir seu negócio que tinha um novo conceito em cuidados de cabelo e pele. Acreditava que outras mulheres poderiam ter um negócio próspero como o seu se fossem bem orientadas, principalmente mulheres pobres, como ela também havia sido. Assim elaborou um treinamento focado em negócio e no seu método e os aprovados poderiam explorar determinada área. Chegou a ter mais de 500 unidades.

Muitos dos princípios do negócio de Martha Matilda Harper estão presentes no formato de franquia atual.

O sistema de franchising chegou no setor de food service na década de 1930, quando Howard Johnson estabeleceu suas primeiras franquias. Johnson tinha estabelecido com sucesso um restaurante e para ajudar um amigo concordou em ajudar concordou em estruturar e supervisionar um restaurante, e em troca lhe venderia os suprimentos necessários. Com o negócio sendo bem sucedido, abriu outras unidades neste modelo e em 1940 havia mais de 100 restaurantes Howard Johnson. Muitos deles eram de propriedade de franqueados que não tinham nenhuma experiência prévia no ramo de restaurantes.

Na década de 1950 houve a explosão do franchising nos EUA, franquias de fast food, como McDonald e Kentucky Fried Chicken, proliferaram durante esses anos. Lavandaria e limpeza serviços e lojas de conveniência de supermercado estavam entre as outras empresas que experimentaram um crescimento significativo através de franchising durante esse período. Redes de hotel e motel e viagem e lazer empresas, tais como acampamentos, servidos a uma população cada vez mais móvel. Holiday Inns, por exemplo, desenvolveu uma rede de quase mil e quatrocentas empresas e franqueado Inns operado em menos de vinte anos.

Em 1955 todo esse movimento culminou com o aparecimento do McDonald´s, até hoje uma das maiores referências do mercado de franquias no mundo, juntamente com marcas como Burger King e KFC.

No Brasil as escolas de inglês (Yazigy e CCAA) foram os grandes responsáveis pela introdução do sistema de franquia, no início dos anos 60. A partir daí, o sistema de franchising evoluiu bastante, com a fundação da Associação Brasileira de Franchising em meados dos anos 80 e a entrada em vigor da Lei da Franquia no. 8.955/04 em 15 de dezembro de 1994.

De acordo com a Comissão do Small Business US Câmara dos Deputados, em 1990, a franquia foi de cerca de um terço dos varejistas em os EUA. Esperava-se que, no final do século, esta figura aumentar até metade do volume. Franchising fornece 13% da nacional riqueza de US produto interno bruto - é três vezes mais..

É claro que, nos Estados Unidos, através da sua corporações transnacionais tornaram-se o maior exportador de franchising como um dos métodos mais promissores de empreendedorismo." Coca-Ko-la"," PepsiCo" " Kompyuterlend" mesmo" McDonalds"," Pizza Hut"," Hilton"," Sheraton" e muitos outras corporações americanas franqueadores estrangeiros local selecionado empresários franqueados fornecer sua tecnologia avançada, trem métodos modernos de fazer negócios e marketing, ajudando, assim, a formação de empreendedorismo local e nacional honrando favorável atitude das autoridades locais. Em 1994, mais de 350 empresas norte-americanas e sua franqueado possuía mais de 32 mil empresas comerciais em outros países. O surgimento da comunidade internacional de franquias gigante responde tendência moderna para a internacionalização e globalização da nacional economias e, por sua vez, reforça essa tendência.

Mais tarde, como franqueadores começar agir e tem, grandes empresas nacionais locais. Fora dos Estados Unidos franquia por razões óbvias é mais prevalente no Canadá: a 1986 neste país, havia 1.440 empresas franqueadores unir mais de 60.000 franqueados. Até o final do século, a ação foi responsável por 40% do franchising vendas no varejo no Canadá. Em alguns outros países, houve estatísticas: Japão 619 102 397franqueadores e franqueados; France 600 e 33 000 respectivamente; Reino Unido 379 e 18.620; em Espanha e 20 000 200; na Alemanha 180 e 9000; Itália 271 e 8432.

Em países como a Holanda e Finlândia, franchising combina muitas cooperativas agrícolas com um volume de negócios de bilhões de dólares na Austrália por mais de 90% das empresas de comércio serviço rápido é realizado em uma franquia

Dado o rápido crescimento Franchising na Europa, Japão, Austrália e outros países continua, é possível argumentam que, até à data os valores acima referidos são aumentado

O fenômeno da rápida, às vezes avalanche fez com que o desenvolvimento do franchising na literatura internacional 0 comentários característica" reprodução vegetativa" e até a" clonagem" franquia de negócios. Ambos os termos são emprestadas de biologia, designar vários métodos de reprodução de organismos vivos e são projetados para enfatizar o mais alto grau de semelhança do franqueado ao franqueador, o seu máximo" parentesco".

Nas últimas décadas, não só Americanos, mas também, japoneses, australianos, canadenses franqueadores europeus intensivamente desenvolveu a sua rede de franquias já fora de seus países, particularmente em países do terceiro mundo. Entre as circunstâncias que contribuíram para esse expansão, os pesquisadores distinguir quatro grandes.

Em primeiro lugar, a franquia foi em últimos 30 anos, é amplamente aceito como uma forma simples, acessível, prático organização de negócios em países estrangeiros, mesmo tendo em conta a inicial significativo custou-lhe.

Em segundo lugar, as mercadorias estrangeiras e serviços são agora muitas vezes bem conhecido fora do seu país origem, graças, em especial a publicidade, assim Não há praticamente um mercado pronto para as suas vendas, como os consumidores já receberam informações sobre esses produtos e serviços.

Assim, no início do século XX. no Reino Unido, o número de franquia redes para mais de 600, o que representou um terço dos varejistas em país. Na Austrália, em 2002, o número de redes de franquias atingiu 747, concentrada nas mãos de pelo menos uma parte substancial do comércio a retalho.

Em terceiro lugar, os mercados nacionais franqueadores podem ser tão saturado que os encoraja a olhar para as oportunidades comercializar os seus produtos no estrangeiro. Finalmente, a quarta, a International Franchising é o desenvolvimento econômico dos países do terceiro mundo, bem como a economia anteriormente Estado. Como resultado de Estes e outros fatores, franchising, como observado, recebeu hoje espalhados em mais de 80 países ao redor do mundo. O seu rápido desenvolvimento de largura, continuarão, sem dúvida, devido principalmente ao inexplorado seus mercados de commodities gigantes que surgiram após o colapso da União Soviética e do mundo o campo socialista e da transição para métodos e processos.

Franquia no Brasil

Histórico

No Brasil, o pioneiro em franquia empresarial foi o brasileiro Arthur de Almeida Sampaio, fabricante dos calçados Stella, que, em 1910, utilizou algumas práticas que hoje constituem o método responsável pelas atividades de franquia para ampliar suas vendas, com destaque em algumas práticas, tais como incorporar no processo de seleção que criou para escolher os representantes comerciais a fim de realizarem, eles próprios, os investimentos necessários à instalação dos novos pontos, ou simplesmente utilizarem os pontos já existentes, onde era instalada uma placa indicando “Calçados Stella”, fornecida pelo representado, caracterizando desta forma uma padronização visual (REDECKER, 2002, pág. 31).

Rizzo (2010) discorda da autora acima, pois sinaliza que a franquia de Calçados Stella ocorreu somente em 1940, e teve como precursores no Brasil: em 1913 a expansão da Shell no Brasil; em 1915 a expansão da Texaco; em 1921 a expansão da Ford; em 1925 o início da Chevrolet e em 1937 o início da Ipiranga. Em 1958 teve o início a expansão da rede de concessionárias Wolkswagen. Em 1969 a Fisk (curso de idiomas).

De acordo com Cherto et al. (2006, pág. 18), ainda que de forma rudimentar, surgiram na década de 60 algumas franquias, com destaque para os cursos de idiomas Yázigi e CCAA.

Conforme Redecker (2002, pág. 31), nos anos de 1975 e 1976 surgiram as franquias da Mister Pizza, e duas redes de franquias de perfumes como O Boticário e Água de Cheiro. Nesta ocasião o Mc Donald`s, já mundialmente conhecido e bem-sucedido, inaugurou várias lojas próprias, nas regiões Sudeste (Rio de Janeiro), Norte e Nordeste, que se tornariam a base para a disseminação de franquias no Brasil.

A adoção do Instituto da Franquia no Brasil (IFB) contribuiu com maior eficiência e o rápido crescimento dos setores de produção e consumo, através de procedimentos administrativos modernos, sanando as necessidades fundamentais da grande parte das empresas comerciais, com foco principalmente nas de pequeno e médio porte, principalmente no que diz respeito Segundo Schwartz (2009, pág. 32), no Brasil o franchising se expandiu de forma vigorosa até consolidar sua posição como um dos cinco maiores pólos mundiais entre os países membros da World Franchise Council (WFC), que congrega as mais importantes associações de franquias no mundo.

O Brasil foi citado como uma das rotas mais promissoras de investimento, em especial as redes de franquias internacionais, segundo o World Franchise Council (WFC), quando ocupava a 4a posição mundial no setor, segundo Santos (2010), citando como fonte o site da própria entidade.

Ainda pode-se destacar a concessão de franquias nacionais em diversos países, tais como a Habib ́s, China in Box, Localiza, Spoleto e O Boticário (CHERTO et al., 2006, pág. 19).

O maior sucesso dos últimos tempos do franchising no Brasil foi a franquia dos Correios, ao mesmo tempo um exemplo de terceirização e de privatização. Os Correios se tornaram a maior franquia do país ao se transformar num banco de serviços. De acordo com as informações disponíveis em seu site na internet (www.correios.com.br), os Correios possuem hoje 12.523 agências, sendo 5.622 próprias e 6.901 franquias.

A Evolução

Os dados divulgados este ano ABF (2010), apresentam um crescimento acentuado no setor de franquias, sob vários aspectos, conforme apresentado e ilustrado na sequência.

Kotler (2000, pág. 526) afirma que o sistema de franquia foi o tipo de varejo que mais cresceu nos últimos anos, comprovando o crescimento acentuado no Brasil, desta modalidade de negócio.

Os dados abaixo apresentado pela ABF (2010) mostra o crescimento do setor de franquias, onde pode-se observar que nos anos 2008 e 2009 foram na ordem de 20% e 15%, respectivamente. Cabe ressaltar que o ano de 2009 foi o ano da crise econômica mundial, e mesmo assim este setor teve um crescimento positivo. Já o Gráfico 3, apresentado pela ABF (2010), mostra o crescimento do número de redes do setor de franquias, onde pode-se observar que anos de 2008 e 2009, foram na ordem de 15% e 19%, respectivamente.

Estes crescimentos reforçam a importância do setor de franquias, que se fortalece nas crises, pois há uma tendência de se buscar modelos estratégicos de expansão através de redes de franquias, pois são modelos de negócio testados e aprovados previamente pelo franqueador, com capacidade para operação e gestão por terceiros.

Evolução Faturamento Franquias

Fonte: Portal do Franchising

Conforme apresentado pela ABF (2010) mostra o crescimento do número de unidades fraqueadas, onde pode-se observar que nos anos de 2008 e 2009, foram na ordem de 10% e 11% respectivamente, o que confirma a importância deste modelo de negócio.

Evolução do Número de Unidades Franquias

Fonte: Portal do Franchising

Na reunião anual do World Franchise Council (WFC, 2010) realizada no Brasil, nos dias 3 e 4 de novembro de 2009, foram apresentados os resultados de diversos países participantes, com destaque para o Brasil com o crescimento mais significativo no sistema, com uma evolução positiva de 14,5%. Nesta mesma reunião anual, foi comentada a força do sistema de franchising nos seus mercados e como os negócios neste sistema foram eficazes para superar o declínio das economias, em muitos casos, desafiando as tendências globais, como comentado pelo representante da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

O sistema de Franchising no Brasil tem se expandido cada vez mais, o Brasil é um dos maiores mercados mundiais de franquias, ocupando atualmente o sexto lugar em números de unidades e o quarto em quantidade de marcas no país. Em 2009, segundo dados da ABF (2012), fechou-se o ano com 1.643 redes de franquias, chegando a variar o seu faturamento em 19,1% em relação ao ano anterior, e gerando algo em torno de 719.892 empregos diretos. Ainda para ABF (2012) em 2010, encerrou-se o ano com um crescimento em seu faturamento de 20,4%, superando as expectativas que variavam de 14 a 19% e, com 1.855 redes de franchising, ou seja, 12,9% a mais em relação ao ano de 2009, e, gerando mais de 777.200 empregos diretos. Em 2011 a estimativa inicial de que o faturamento das redes aumentaria em 15% foi superado: as marcas faturaram 88,8 bilhões no ano passado, valor 16,9% superior ao ano de 2010. Segundo a previsão da ABF (2012) as franquias brasileiras manterão o crescimento do faturamento no patamar de 15%. É esperado um crescimento de 8% no número de novas unidades, cuja projeção indica aumento de 9%.

O Brasil em 2011 teve 93.098 unidades entre franqueados e lojas próprias. Isso representa um acréscimo de 7,8% quando comparado com 2010. “O problema é que de 2009 para 2010 o crescimento foi de 8%. Essa pequena variação faz diferença”. O motivo para o decréscimo foi a valorização imobiliária excessiva.

O franchising brasileiro corresponde a 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, mas tem potencial para atingir o nível americano. Nos Estados Unidos, as franquias são responsáveis por 13,8% do PIB.

Tendo como ponto de partida as exposições acima, esta pesquisa busca entender o processo de evolução das redes de franchising no Brasil e seus conceitos.

A cada dia o setor de franchising vem apresentando crescimento sustentável pelo modelo seguro e experimentado, com a transferencia de know how de negócios de sucesso.

Fonte de informações para este post: IFA (International Franchise Association) e Cartilha: O que é Franquia, do Ministério do Desenvolvimento, Industria e Comércio Exterior, SEBRAE e ABF.

Site: http://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/17701/17701_3.PDF

Site: Sebrae PR

www.carbonadvisors.com.br

Leandro de Jesus

(11) 9 8153-8047

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© Criado em 2010 por Agência 1a+.