EVOLUÇÃO DO FRANCHISING

Um pouco da História do Franchising

Historiadores afirmam que, de forma ainda muito rudimentar, o conceito de franchising originou-se na Idade Média, a partir do momento em que a Igreja Católica passou a conceder licenças ou Franquias a senhores de terras e a outras pessoas para que, em seu nome, coletassem impostos e taxas.

Há quem atribua as origens mais remotas do franchising às expedições ou aventuras marítimas financiadas pelos diversos reinos existentes à época. Naquele tempo, os reis “franqueavam” navios aos exploradores, para que, em nome do reino e sob suas armas, buscassem novas terras, especiarias e riquezas.

O sistema de franchising, tal e como o conhecemos hoje em dia, teve sua origem em meados do século XIX, nos Estados Unidos, concretamente no ano de 1862. Nesta data a I.M. Singer & Co., fabricante de máquinas de costura, já concedia o direito de uso de sua marca e de comercialização de seus produtos para comerciantes independentes.

Com o tempo, empresas como a General Motors e Coca-Cola adotaram o sistema de franquias como uma forma de se fazer negócios e crescer, ocupando mercados - a finalidade da GM era expandir a sua rede de revendas de automóveis e a da Coca era garantir o engarrafamento e uma distribuição mais abrangente de seus produtos, utilizando terceiros nesse processo.

A partir do século XX, após a 2ª. Guerra Mundial, o sistema de franquias iniciou o seu grande "boom" nos Estados Unidos, com a abertura de diversos negócios por soldados americanos que voltaram para suas casas sem experiência e sem emprego, porém com muita vontade de trabalhar e com necessidade de ganhar dinheiro. O mercado já apresentava oportunidades de franquias como Hertz (locação de veículos), Roto Rooter (limpeza de encanamentos), entre muitas outras.

Em meados da década de 1930, as companhias de petróleo começaram a franquear postos de gasolina.

A indústria de refrigerantes também começou a franquia neste período. Veja que este modelo de franquia industrial, que algumas vezes é divulgado como uma inovação, já existia no início do século passado. O franqueado recebia um xarope e o direito de produzir refrigerante seguindo uma fórmula rigorosa, identificando-os com a marca do produtor do xarope e explorando de maneira exclusiva determinada região.

Sem a utilização deste modelo, dificilmente os nomes fortes de hoje teriam conseguido tal expansão em tão pouco tempo.

Ainda no início do século passado por volta de 1920 a 1930, nos Estados Unidos surgiram redes formadas por empresários independentes, como redes de farmácias e lojas de utilidades.

Algumas destas redes conseguiram excelentes resultados através do cooperativismo, atraindo novos membros que atuavam exatamente como um franqueado.

Algumas redes americanas surgidas nesta época chegaram em 1960 com mais de duas mil unidades.

Acredita-se que a mais antiga rede de franquias de serviços tenha sido a Harper cabeleireiro, também americana.

Salões, instituído pela Martha Matilda Harper em 1891. Ela queria expandir seu negócio que tinha um novo conceito em cuidados de cabelo e pele. Acreditava que outras mulheres poderiam ter um negócio próspero como o seu se fossem bem orientadas, principalmente mulheres pobres, como ela também havia sido. Assim elaborou um treinamento focado em negócio e no seu método e os aprovados poderiam explorar determinada área. Chegou a ter mais de 500 unidades.

Muitos dos princípios do negócio de Martha Matilda Harper estão presentes no formato de franquia atual.

O sistema de franchising chegou no setor de food service na década de 1930, quando Howard Johnson estabeleceu suas primeiras franquias. Johnson tinha estabelecido com sucesso um restaurante e para ajudar um amigo concordou em ajudar concordou em estruturar e supervisionar um restaurante, e em troca lhe venderia os suprimentos necessários. Com o negócio sendo bem sucedido, abriu outras unidades neste modelo e em 1940 havia mais de 100 restaurantes Howard Johnson. Muitos deles eram de propriedade de franqueados que não tinham nenhuma experiência prévia no ramo de restaurantes.

Na década de 1950 houve a explosão do franchising nos EUA, franquias de fast food, como McDonald e Kentucky Fried Chicken, proliferaram durante esses anos. Lavandaria e limpeza serviços e lojas de conveniência de supermercado estavam entre as outras empresas que experimentaram um crescimento significativo através de franchising durante esse período. Redes de hotel e motel e viagem e lazer empresas, tais como acampamentos, servidos a uma população cada vez mais móvel. Holiday Inns, por exemplo, desenvolveu uma rede de quase mil e quatrocentas empresas e franqueado Inns operado em menos de vinte anos.

Em 1955 todo esse movimento culminou com o aparecimento do McDonald´s, até hoje uma das maiores referências do mercado de franquias no mundo, juntamente com marcas como Burger King e KFC.

No Brasil as escolas de inglês (Yazigy e CCAA) foram os grandes responsáveis pela introdução do sistema de franquia, no início dos anos 60. A partir daí, o sistema de franchising evoluiu bastante, com a fundação da Associação Brasileira de Franchising em meados dos anos 80 e a entrada em vigor da Lei da Franquia no. 8.955/04 em 15 de dezembro de 1994.